Posts Tagged ‘Poodle’

Meu cachorro esta se coçando o que pode ser?

Não tem situação mais agoniante e irritante que um cachorro coçando sem parar. Coitados… Alguns chegam a chorar de tanta coceira! Mas quais podem ser as causas?

A primeira coisa que devemos verificar é a presença de ectoparasitas, podem ser eles pulgas, carrapatos ou piolhos. Tudo isso coça e coça muito.

Não se envergonhe se o seu cachorrinho lindo, cheiroso e que dorme com você estiver com pulgas. Especialmente nesta época de calor a incidência é alta, e o seu cão pode pegar uma pulga passeando na rua e se ele não passeia você pode trazer para casa na sua roupa e no seu calçado.

Previna-se, aplique produtos antipulga mensalmente!

Você olhou, olhou e constatou não é nenhum bichinho, e agora??

Podem ser tantas coisas que poderia escrever por dias e dias que teria assunto. Quando chega um cão assim no meu consultório gosto de ter uma longa conversa com o proprietário. Algumas perguntas são fundamentais e auxiliam no diagnóstico. Você mesmo pode fazer e assim ajudar o seu amiguinho.

Vamos lá…

Qual a nota que você dá para a coceira? E qual o tempo que ele passa se coçando?

Neste caso, doenças como a sarna comum ( escabiose) e alergia a picada de pulgas ( DAPP) são levadas em consideração, pois coçam muito e isso chama atenção do proprietário. No caso da sarna além do cão, outros animais ou pessoas podem apresentar sintomas também como coceira e vermelhidão na pele.

Qual a raça deste amiguinho? Existem raças com maior propensão a desenvolver dermatites, podemos citar aqui o Shar pei que devido as suas dobras podem desenvolver  Malassezia. Este é um funguinho bem chatinho que coça bastante e chega até a escurecer a pele.

A coceira é sazonal? Não acontece todos os dias? Isso pode determinar um paciente alérgico a alguma planta, é comum animais alérgicos a pólen,ou a produtos de limpeza. Vale aqui observar o seu cachorrinho, eu tive uma paciente com um proprietário muito observador que percebeu que sua Lhasa-apso se coçava mais nos dias em que ventava, ou seja, o vento trazia algum pólén que a irritava.

O dia seguinte após a limpeza da casa também deve ser observado, pois todos os produtos de limpeza deixam resíduos no chão e aonde fica o seu cachorro 90% do tempo?  Alguns produtos de limpeza irritam a pele e além do nosso colega se coçar a pele pode ficar bem vermelha.

O seu cão espirra ou tosse? Esfregar o focinho no sofá e nos tapetes também conta como coceira e podem ser sinais de alergia a algo que ele respirou como um perfume.

O que o seu cachorro come? Aqui é a hora da verdade! Não tenha medo do veterinário! Muitos cães se coçam por alergia a alimentos.

E nem sempre as rações são as vilãs, aquele miolinho de pão jogado por baixo da mesa pode ser o culpado. Faça um grande exame de conciência e anote tudo o que seu cachorro come. Um dos meus casos mais marcantes foi o de uma poodle que após meses, digo meses de tratamento sem muito sucesso a sua dona me pergunta “Vivian será que o palmito em conserva que ela come todos os dias pode estar fazendo mal? ” Bom… Retiramos o palmito e é claro ela parou de coçar!

As alergias alimentares são complexas e muitas vezes demoram para o veterinário diagnosticar e para ser diagnosticado precisamos muito da colaboração e sinceridade do proprietário pois o nosso paciente não fala não é verdade!

E se o seu cachorro parece que se coça até quando respira?

Neste caso parabéns você pode ter um cachorrinho atópico!

Os atópicos tem podem ter alergia tudo, como alimentos, produtos de limpeza, seu perfume, seu desodorante, o perfume dele, ao xampu utilizado no banho, a poeira (aos ácaros da poeira) e por ai vai…

Ao encaminhar o seu cachorrinho ao veterinário quando ele estiver se coçando observe estes pontos, assim você ajuda quem vai ajudar o seu cachorro a melhorar!

Escreva aqui no Blog Sobre Cães e Gatos as suas dúvidas e opiniões.

 

17

01 2012

Problemas no joelho… parece o Ronaldinho!

Para que tem cachorrinhos de pequeno porte como poodle, maltês, yorkshire, shitzu, lhasa apso, pinsher e os mestiços destas raças, os probleminhas no joelho são comuns.

Muitas vezes você como proprietário não percebe que o seu cão manca levemente e infelizmente só descobre o problema quando acontece alguma lesão e o seu amigo sente dor. Comumente nos consultórios veterinários atende-se pacientes de meia idade ( 3-4 anos) que ao pularem de uma cama mais alta, ou após a tosa manifestam sintomas de dor.

Quais são os problemas mais comuns?

Em primeiro lugar a luxação de patela (antigamente chamada de rótula), as rupturas dos ligamento cruzado e o lateral  e é claro as fraturas.

A luxação patelar é a mais encontrada em raças de pequeno porte, mais também pode ocorrer nos grandalhões e é de origem genética, ou seja, uma herança passada dos pais para os filhotes.

Normalmente nos pequenos a patela é desviada para dentro da coxa, e esta característica chamados de luxação de patela medial, nos cachorros grandes a patela fica para fora da coxa e é chamada de luxação de patela lateral. As luxações são classificadas por grau, determinando assim a gravidade da lesão, estes graus vão do I ao IV, no Grau I mais leve o cão pode conviver a vida toda com o problema e o IV mais grave muitas vezes a lesão é  irreversível e com muita dor para o nosso amiguinho. O diagnóstico é importante pois a doença progride.

1-Patela; 2-Fêmur; 3-Ligamento Patelar; 4-Tuberodidade tibial; 5-Luxaçao medial da patela; 6-Luxaçao lateral da patela.

Para avaliar se o seu pequeno possui luxação de patela, verifique se ele manca de alguma patinha traseira, é comum eles darem uns pulinhos quando andam na maioria dos casos eles não mancam sempre e os sintomas podem ser percebidos em dias mais frios, poupar o membro que dói na hora de fazer xixi ou coco também é comum.

Alguns cães podem mancar após a tosa, isto acontece pois o profissional precisa que ele fique em pé para fazer um bom trabalho, e acaba forçando a articulação, neste caso identificado o problema a tosa é feita de maneira diferenciada sem forçar o joelhinho do nosso amigo.

Verifique também a musculatura da coxa, geralmente os cães com luxação de patela possuem uma coxa menor que a outra.

Já as rupturas de ligamento cruzado e lateral já ocorrem de maneira brusca, o cão estava bem e do “nada” começa a mancar. Geralmente estão ligadas a uma queda, um salto mais ousado ou alguma peripécia desastrosa do pequeno.

Nos dois casos o tratamento é apenas cirúrgico e apenas o médico veterinário poderá diferenciar os dois casos.

Calma não se apavore!!!!

O que é importante é identificar o problema, perceba o andar do seu cão e consulte um médico veterinário caso você desconfie que o seu cachorrinho possa ter algum problema no joelho. O veterinário irá identificar o grau da lesão e as medidas de prevenção a serem tomadas.

Identificado o problema não cruze o seu cãozinho, ele passará esta herança para os seus filhos.

E pode ter certeza que  ele viverá bem, muitos anos e podendo jogar muita bolinha. Diferente do craque Ronaldinho! rss

Tire suas dúvidas e comente este post, nós do blog Sobre Cães e Gatos agradecemos a sua participação.

14

09 2011

Diabete que doença é essa?

Sede, fome, xixi…

Sede, Sede… Fome, Fome… Xixi, Xixi… Era assim a vida do meu poodle antes do diagnóstico e tratamento da diabete.

Mas que doença é essa?

Diabete é conhecida também como doença silenciosa, pois seus sintomas iniciam lentamente e na maioria das vezes demoram para ser detectados. Basicamente sede, fome e muito xixi são os principais sintomas de um cão diabético. A catarata, quando o olho começa ficar branquinho, também  aparece na maioria dos casos.

Clínicamente  ela é definida como um distúrbio resultado da incapacidade do pâncreas de produzir insulina, este hormônio é o responsável por “digerir”a glicose do, como não tem insulina sobra glicose e o resultado é a diabete.

Por que o cão fica diabético?

Os fatores são múltiplos, hoje a obesidade é apontada como a principal culpada , porém existem também os fatores genéticos, os raciais (já sabe-se que a raça poodle é a mais acometida), e também outras doenças como o hiperadrenocorticismo.

O importante é diante destes sintomas encaminhar o seu cão ao veterinário. O diagnóstico precoce prolonga a vida do nosso amiguinho (O Yuri meu poodle esta em tratamento para diabete fazem sete anos, e está parecendo um guri!).

O tratamento é o veterinário que irá determinar e será baseado na maioria dos casos nas injeções diárias de insulina, alimentação equilibrada  rica em fibras e exercícios físicos regulares.

Na minha opinião o sucesso do tratamento da diabete é resultado da dose correta aliada á alimentação correta, no mercado veterinário exsitem excelentes rações próprias para diabéticos e petiscos sem calorias. Administrar bifinhos ou biscoitos fará com que a glicose do seu cão aumente, e picos podem ocasionar cegueira e até mesmo coma hiperglicemico (quando a glicose fica a cima dos níveis toleráveis para o organismo), prejudicando o seu amiguinho.

A ração que eu recomendo é a Weigth Control Diabetic 30 da Royal Canin, mas já usei a W/d da Hill’s e gostei muito.

Para petiscos… apenas os palitos sem caloria, e aqui está o desafio, resista a aquela carinha de pedinte do seu cachorro, o Yuri gosta do palitinho Pet Palitos Zero calorias da Organnact, com este eu não tenho nenhuma variação da glicemia e ainda estou oferecendo fibras, e ele é claro ele se diverte.

Esteja sempre próximo do seu veterinário de confiança, o nosso amiguinho diabético necessita de cuidados por toda a vida, e é importante ressaltar que fazendo o tratamento corretamente e administrando uma alimentação adequada você pode ter certeza que seu cão diabético viverá muitos e muitos anos ao seu lado.

04

08 2011

Vou falar sobre amor por cães e gatos

Para começar gostaria de dividir a minha história pessoal. Desde que me entendo por gente pensava em ser veterinária. Sempre tive muitos amigos de quatro patas, principalmente gatos, a primeira a Laidy, fez com a família de felinos ficasse grande, ela só tinha cria no meu armário, me recordo de muitas vezes quando criança  abrir uma gaveta e me surpreender com filhotes miando baixinho, e todos os dias acordar com ronronadas e um dos gato afofando a na minha barriga. Que delícia!

Meu primeiro cão, o Duque, um SRD, foi meu melhor amigo na infância, e decisivo na escolha da minha profissão, partiu com 19 anos, quando eu já estava atuando como veterinária, penso nele com gratidão e lágrimas nos olhos, ele me apresentou este mundo maravilhoso de amizade, fidelidade e companheirismo dos cães.

 A minha família hoje é formada pelo Yuri, cão Poodle 13 anos, Pipoca, cachorrinha Maltês 2,5 anos, Preta felina SRD (vira-lata para a maioria, depois que casei ela ficou morando com meu pai) 7 anos, Padme felina Chartreux 2 anos, Gato (o nome dele realmente é Gato) felino Persa, 9 anos, este último é da minha sogra, frequente se hospeda em nossa casa e já é considerado da família. Esta turminha é a minha paixão e fonte de inspiração diária.

Aqui vocês irão conhecer histórias desta turma, aliada as minhas experiências atuando como veterinária de cães e gatos há nove anos.

Pretendo oferecer soluções para as dificuldades do dia a dia, falando como proprietária que sou e também como veterinária.

Sou uma apaixonada por focinhos gelados, abanadas de rabo, olhinhos atentos, ronronados e também rosnadas e mordidinhas. Quero dividir esta paixão com vocês!

Então vamos lá… falar sobre cães e gatos.

Sejam bem vindos!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

13

07 2011