Posts Tagged ‘Lhasa-apso’

Meu cachorro esta se coçando o que pode ser?

Não tem situação mais agoniante e irritante que um cachorro coçando sem parar. Coitados… Alguns chegam a chorar de tanta coceira! Mas quais podem ser as causas?

A primeira coisa que devemos verificar é a presença de ectoparasitas, podem ser eles pulgas, carrapatos ou piolhos. Tudo isso coça e coça muito.

Não se envergonhe se o seu cachorrinho lindo, cheiroso e que dorme com você estiver com pulgas. Especialmente nesta época de calor a incidência é alta, e o seu cão pode pegar uma pulga passeando na rua e se ele não passeia você pode trazer para casa na sua roupa e no seu calçado.

Previna-se, aplique produtos antipulga mensalmente!

Você olhou, olhou e constatou não é nenhum bichinho, e agora??

Podem ser tantas coisas que poderia escrever por dias e dias que teria assunto. Quando chega um cão assim no meu consultório gosto de ter uma longa conversa com o proprietário. Algumas perguntas são fundamentais e auxiliam no diagnóstico. Você mesmo pode fazer e assim ajudar o seu amiguinho.

Vamos lá…

Qual a nota que você dá para a coceira? E qual o tempo que ele passa se coçando?

Neste caso, doenças como a sarna comum ( escabiose) e alergia a picada de pulgas ( DAPP) são levadas em consideração, pois coçam muito e isso chama atenção do proprietário. No caso da sarna além do cão, outros animais ou pessoas podem apresentar sintomas também como coceira e vermelhidão na pele.

Qual a raça deste amiguinho? Existem raças com maior propensão a desenvolver dermatites, podemos citar aqui o Shar pei que devido as suas dobras podem desenvolver  Malassezia. Este é um funguinho bem chatinho que coça bastante e chega até a escurecer a pele.

A coceira é sazonal? Não acontece todos os dias? Isso pode determinar um paciente alérgico a alguma planta, é comum animais alérgicos a pólen,ou a produtos de limpeza. Vale aqui observar o seu cachorrinho, eu tive uma paciente com um proprietário muito observador que percebeu que sua Lhasa-apso se coçava mais nos dias em que ventava, ou seja, o vento trazia algum pólén que a irritava.

O dia seguinte após a limpeza da casa também deve ser observado, pois todos os produtos de limpeza deixam resíduos no chão e aonde fica o seu cachorro 90% do tempo?  Alguns produtos de limpeza irritam a pele e além do nosso colega se coçar a pele pode ficar bem vermelha.

O seu cão espirra ou tosse? Esfregar o focinho no sofá e nos tapetes também conta como coceira e podem ser sinais de alergia a algo que ele respirou como um perfume.

O que o seu cachorro come? Aqui é a hora da verdade! Não tenha medo do veterinário! Muitos cães se coçam por alergia a alimentos.

E nem sempre as rações são as vilãs, aquele miolinho de pão jogado por baixo da mesa pode ser o culpado. Faça um grande exame de conciência e anote tudo o que seu cachorro come. Um dos meus casos mais marcantes foi o de uma poodle que após meses, digo meses de tratamento sem muito sucesso a sua dona me pergunta “Vivian será que o palmito em conserva que ela come todos os dias pode estar fazendo mal? ” Bom… Retiramos o palmito e é claro ela parou de coçar!

As alergias alimentares são complexas e muitas vezes demoram para o veterinário diagnosticar e para ser diagnosticado precisamos muito da colaboração e sinceridade do proprietário pois o nosso paciente não fala não é verdade!

E se o seu cachorro parece que se coça até quando respira?

Neste caso parabéns você pode ter um cachorrinho atópico!

Os atópicos tem podem ter alergia tudo, como alimentos, produtos de limpeza, seu perfume, seu desodorante, o perfume dele, ao xampu utilizado no banho, a poeira (aos ácaros da poeira) e por ai vai…

Ao encaminhar o seu cachorrinho ao veterinário quando ele estiver se coçando observe estes pontos, assim você ajuda quem vai ajudar o seu cachorro a melhorar!

Escreva aqui no Blog Sobre Cães e Gatos as suas dúvidas e opiniões.

 

17

01 2012

Síndrome Braquicefálica o que é isso?

Há alguns meses atrás meu sobrinho amado, Tigrinho, um bulldog inglês foi tomar banho em um pet shop de confiança e  teve uma síncope, foi um susto muito grande. O pet shop não teve nenhuma culpa. O meu sobrinho apenas ficou nervoso e “esqueceu”de respirar!  Fiquem tranquilos ele esta bem.

Como isso acontece, e por quê?

As raças de cães e gatos braquicefálicos são aquelas raças de focinho bem achatado, aonde temos um focinho praticamente na mesma linha do nariz.

Comumente esta síndrome é observada em cães, como Shih tzu, Lhasa Apso, Maltês, Boxer, Buldogue inglês e francês, Cavalier King Charles Spaniel, Pequinês, Pug e Boston terrier e, em alguns gatos como o Persa e Himalaio, a síndrome é importante devido à gravidade dos sinais clínicos e em seu potencial risco de morte.

A síndrome braquicefálica, também denominada síndrome das vias aéreas braquicefálicas e síndrome de obstrução das vias aéreas braquicefálicas, são caracterizadas por apresentar uma ou mais anormalidades anatômicas congênitas das vias aéreas superiores, ou seja, os cães bradicefálicos já nascem com dificuldade para respirar.

 Essa dificuldade para respirar pode ser devido a estenose dos orifícios nasais, aonde a abertura do nariz é muito pequena e normalmente o cachorrinho ou gatinho precisa fazer força para respirar e em alguns casos precisa respirar com a boca aberta quase que o tempo todo. Na literatura veterinária encontrei dados que dizem que este achado ocorre em 50 % dos cães destas raças. Confesso que no consultório já percebi muitos cães destas raças citadas com um nariz bem pequenininho.

  O prolongamento do palato mole já é observado na maioria dos casos, e nada mais é do que um alongamento do ”céu da boca” que dificulta a passagem do ar. Existem casos em que é necessário operar para retirar esse excesso.

 A hipoplasia traqueal, e o colapso laríngeo também são encontrados em cães portadores desta síndrome.

Os sinais clínicos dependem da intensidade da obstrução do fluxo aéreo nas vias aéreas superiores, podendo variar de suaves a severos.

Nos casos mais leves eles normalmente apresentam respiração ruidosa, tosse, alteração vocal, tentativas de vômito, engasgos, espirros e  intolerância ao exercício.

Nos casos mais graves dispnéia, mucosas pálidas ou cianóticas, agonia respiratória e síncope.

A síncope é a apresentação mais grave da doença e caracteriza-se por perda da coinciência, podendo levar o animal á uma parada cardiorespiratória e morte.

Esses animais, em sua maioria, não conseguem regular sua temperatura corporal podendo haver hipertermia e ainda agravando-se a sintomatologia em temperaturas ambientais elevadas, foi o que aconteceu com meu sobrinho Tigrinho.

Vale a pena ressaltar que não são todos os cachorrinhos e gatinhos destas raças que possuem a síndrome. Porém devido as  suas características anatômicas devem sempre ser avaliados por um médico veterinário.

Os portadores desenvolvem normalmente problemas cardíacos e devem sempre fazer exames como eletrocardiograma e ecocardiograma.

Tudo o que falei neste post explica a nova postura da GOl, empresa área que não transposta mais cães braquicefálicos. Veja aqui as novas normas.

Cuide do seu amiguinho de focinho curto e ele viverá bem e por muito tempo.

Coloque aqui no Blog Sobre Cães e Gatos aas suas dúvidas e opniões. Escreva neste post.

01

12 2011

Problemas no joelho… parece o Ronaldinho!

Para que tem cachorrinhos de pequeno porte como poodle, maltês, yorkshire, shitzu, lhasa apso, pinsher e os mestiços destas raças, os probleminhas no joelho são comuns.

Muitas vezes você como proprietário não percebe que o seu cão manca levemente e infelizmente só descobre o problema quando acontece alguma lesão e o seu amigo sente dor. Comumente nos consultórios veterinários atende-se pacientes de meia idade ( 3-4 anos) que ao pularem de uma cama mais alta, ou após a tosa manifestam sintomas de dor.

Quais são os problemas mais comuns?

Em primeiro lugar a luxação de patela (antigamente chamada de rótula), as rupturas dos ligamento cruzado e o lateral  e é claro as fraturas.

A luxação patelar é a mais encontrada em raças de pequeno porte, mais também pode ocorrer nos grandalhões e é de origem genética, ou seja, uma herança passada dos pais para os filhotes.

Normalmente nos pequenos a patela é desviada para dentro da coxa, e esta característica chamados de luxação de patela medial, nos cachorros grandes a patela fica para fora da coxa e é chamada de luxação de patela lateral. As luxações são classificadas por grau, determinando assim a gravidade da lesão, estes graus vão do I ao IV, no Grau I mais leve o cão pode conviver a vida toda com o problema e o IV mais grave muitas vezes a lesão é  irreversível e com muita dor para o nosso amiguinho. O diagnóstico é importante pois a doença progride.

1-Patela; 2-Fêmur; 3-Ligamento Patelar; 4-Tuberodidade tibial; 5-Luxaçao medial da patela; 6-Luxaçao lateral da patela.

Para avaliar se o seu pequeno possui luxação de patela, verifique se ele manca de alguma patinha traseira, é comum eles darem uns pulinhos quando andam na maioria dos casos eles não mancam sempre e os sintomas podem ser percebidos em dias mais frios, poupar o membro que dói na hora de fazer xixi ou coco também é comum.

Alguns cães podem mancar após a tosa, isto acontece pois o profissional precisa que ele fique em pé para fazer um bom trabalho, e acaba forçando a articulação, neste caso identificado o problema a tosa é feita de maneira diferenciada sem forçar o joelhinho do nosso amigo.

Verifique também a musculatura da coxa, geralmente os cães com luxação de patela possuem uma coxa menor que a outra.

Já as rupturas de ligamento cruzado e lateral já ocorrem de maneira brusca, o cão estava bem e do “nada” começa a mancar. Geralmente estão ligadas a uma queda, um salto mais ousado ou alguma peripécia desastrosa do pequeno.

Nos dois casos o tratamento é apenas cirúrgico e apenas o médico veterinário poderá diferenciar os dois casos.

Calma não se apavore!!!!

O que é importante é identificar o problema, perceba o andar do seu cão e consulte um médico veterinário caso você desconfie que o seu cachorrinho possa ter algum problema no joelho. O veterinário irá identificar o grau da lesão e as medidas de prevenção a serem tomadas.

Identificado o problema não cruze o seu cãozinho, ele passará esta herança para os seus filhos.

E pode ter certeza que  ele viverá bem, muitos anos e podendo jogar muita bolinha. Diferente do craque Ronaldinho! rss

Tire suas dúvidas e comente este post, nós do blog Sobre Cães e Gatos agradecemos a sua participação.

14

09 2011

Cachorro não é brinquedo

Certo dia em um Pet shop que trabalhei entrou uma senhora , olhou para a vitrine  aonde estava exposto um lindo Lhasa-apso para a venda. Virou-se para a atendente a falou” Vou levar, o que preciso para isso?”

A atendente surpresa falou que ela teria que antes conversar com a veterinária, eu neste caso, e que ele precisava de comida, potes para água e ração, uma caminha, brinquedos…

A cliente estava com uma certa presa, separou tudo e veio ao meu consultório.

Comecei a explicar a respeito das vacinas, alimentação do filhote, e como seria esta fase de adaptação em sua nova casa.

A cliente sorriu e disse “Dra retornarei amanhã com meu filho de 4 anos, preciso levar o filhote para casa pois ele acredita que levei este ao veterinário”

Para a minha surpresa ela estava com um cachorro de brinquedo daqueles que parecem estar respirando dentro da bolsa.

Me surpreendi e ela continuou…”Meu filho está chorando desde ontem pois este cachorrinho não acorda e ele hoje me pediu para leva-lo ao veterinário, ele tem certeza que este cachorro de brinquedo esta doente , já que dorme há 4 dias, e ele tentou de todas as maneiras acorda-lo”.

Perguntei se ela tentou mostrar a pilha, ela disse que sim, mais ele gritava, virava o rosto e dizia que ali era o “dodói do au-au”.

A solução foi realmente” acordar” o cachorro de brinquedo e como em um passe de mágica transformar ele em um lindo cachorrinho de verdade.

No outro dia os dois novos amiguinhos estavam no consultório, e o fofinho foi me agradecer por ter acordado o amiguinho dele, e ele disse “eu estava muito preocupado, mas agora ele está bem”

Tão fofinho e depois fiquei pensando talvez muito espertinho, pois ele conseguiu o seu amiguinho tão desejado.

19

08 2011

O tempo seco também afeta os cães e gatos

 

Refrescante!

Boca seca, sede… cansaço. Que calor! Adoraria uma piscina agora! Acho que pensou minha maltês, bom … eu pensaria rss 

Se você sente esta “secura” toda imagine o seu cãozinho e o seu gatinho. Como nós eles sentem também todos as sensações decorrentes deste clima desértico enfrentado por muitas regiões do pais.

Para amenizar o desconforto dos nossos amiguinhos podemos seguir algumas recomendações.

Em primeiro lugar evite os horários mais quentes para passear com o seu cão, dê preferência para o inicio da manhã e o final da tarde, segundo os meteorologistas as 15h é registrada a menor umidade do ar do dia, por isso evite estes horários.

Fique atento ao consumo de água do seu amiguinho e troque a água várias vezes no dia para que ela esteja sempre fresca.

O consumo de água para um cão de 10 kg é de aproximadamente 400 a 600 ml/dia de água, e um para um gato de  4 kg varia de 160 a 240 ml/dia. Esta quantidade é a quantidade mínima de água para sobrevivência. Espalhar vários bebedouros pela casa facilita o acesso a água, especialmente para os gatos.

Podemos oferecer também água de coco, hidrata, é doce e eles adoram.

Leve o seu bichinho de estimação para tomar banho com você, deixe-o no ambiente respirando o ar úmido do seu banho, com isso ele lubrifica as vias áereas, diminuindo qualquer sensação de desconforto respiratório.

Para os peludinhos e os de nariz achatado (bradicefálicos) como o Shitzu e o Lhasa-apso uma tosa de verão pode amenizar o desconforto.

Esta turminha, por causa desta caracteristica física, é a que mais sente desconforto neste período de umidade baixa. O nariz achatado dificulta a respiração, diminuindo assim a troca de calor e por este fato deve-se ter cuidado com longas caminhadas.

Para estas raças citadas e mais o Bulldog Inglês, Bulldog Francês e o Pug, o ideal é caminhar pouco e não deixar o cachorrinho ficar ofegante, a dificuldade deles para perder calor pode provocar uma crise respiratória que em casos graves pode evoluir para parada respiratória.

Qualquer sintoma como tosse, dificuldade respiratória grave e sinais de desidratação entre outros não hesite em levar o seu amiguinho ao veterinário.E

E vamos rezar para a chuva chegar e beber muita água para hidratar!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

18

08 2011