Posts Tagged ‘AIDS Felina’

Diarreia… Quais as principais causas

O verão esta chegando e agora se inicia a temporada de diarreia nos consultórios veterinários de todo o país. A temporada de fezes amolecidas especialmente na segunda-feira começou. O que fazer? Quais as principais causas?

Falar deste tema é no mínimo “nojentinho”porém ele tem que ser abordado e com muita seriedade. Pois acredito que muitas mortes de cães e gatos podem ser evitadas se os quadros diarreicos forem tratados rapidamente.

Caracterizamos diarreia quando as fezes do seu cão ou gato apresentam-se com alteração de volume, fluido ou frequência.

Pode ter ínicio agudo, ou seja, estava bem ontem e hoje amanheceu com as fezes amolecidas.E crônica quando o nosso amiguinho esta com problemas intestinais há mais de 3 semanas, o que debilitita e pode determinar até mesmo o óbito deste paciente.

As doenças causadoras de diarreia são diversas e ela também pode ser causada pela ingestão de alimento em excesso( aquela dor de barriga que temos após come aquela feijoada!)  e também por ingerir alimentos que o nosso amigo não esta acostumado.

Atenção! Não é por que estamos entrando no período de festas de final de ano que o seu cão deve comer a ceia de Natal, ele não esta acostumado e fatalmente ele sofrerá com uma diarreia no dia seguinte. Pense nisso!

Agora nesta época do ano também é grande a incidência das doenças virais nos cães como a Parvovirose, Cinomose e Coronovirose. Para prevenir vacine seu cão sempre no VETERINÁRIO, exija o carimbo e assinatura do profissional, esse deve ter registro no CRMV do seu estado e deve examinar o seu cachorro antes de aplicar a vacina.

Nos gatos as principais doenças virais causadoras de diarreia são a Panleucopenia felina, a FIV ( AIDS felina) e FeLV ( Leucemia felina) e a Coronovirose. A Panleucopenia ,a Coronovirose e a Leucemia felina possuem vacina. Para a FIV o melhor é a prevenção. Saiba como no Post sobre O que é FIV? Também conhecida como AIDS felina.

As verminoses também são agentes importantes e acometem os nossos amigos cães e gatos durante todo o ano. Portanto desvermine seu amigo frequentemente. Normalmente eu recomendo mensalmente para cães que vivem em regiões litorâneas e a cada 3 meses para os gatos, mesmo os que vivem em apartamentos.” Essa é a minha recomendação como veterinário, cada profissional possui uma conduta médica que varia de animal para animal, portanto busque sempre orientação do seu médico veterinário”.

A Giardia e a Isospora também são agentes importantes nos quadros diarreicos. Vale a pena ler o post sobre O que é Giardia para evitar a contaminação.

As bactérias como a Salmonella, a Escherichia coli e o Clostridium causam normalmente quadros agudos e com muita cólica e febre. Neste caso nunca deixe restos de alimentos e ossos para os cães e gatos e evite o contato destes com o lixo.

Outras causas como as intoxicações por plantas, tumores intestinais e causas hormonais sempre estarão na lista de diagnósticos diferencias para os casos de diarreia em cães e gatos.

Portanto esta com diarreia leve o seu cão ou gato ao VETERINÁRIO.

Não pergunte a nenhum balconista de farmácia ou a sua vizinha que remédio administrar. As causas são diversas e os tratamentos diferenciados.

Coloque-se no lugar do seu amigo, imagine estar com diarreia e ninguém te ajudar!

Este post é um alerta para que muitos cães e gatos possam receber tratamento adequado e atenção quando estiverem doentes.

Escreva neste post, coloque aqui no blog Sobre Cães e Gatos as suas dúvidas e opiniões.

 

07

12 2011

O que é FIV? Também conhecida como AIDS felina

Muito diferente da AIDS humana, mas infelizmente com uma semelhança a FIV debilita o nosso amiguinho felino e pode leva-lo a óbito. Vamos entender um pouco desta doença que afeta os felinos e como podemos protegê-los.

O vírus da imunodeficiência felina, também conhecido como FIV  foi isolado pela primeira vez em 1986 nos EUA, mas estima-se que ele afeta os felinos desde a década de 60. Possui distribuição mundial.

Diferentemente do vírus da imunodeficiência humana a transmissão não ocorre pela via sexual, mas através da saliva de gatos infectados, através da mordida e da lambedura.

Devido a este fato os gatinhos mais suscetíveis são aqueles que possuem contato com outros gatos de vida livre, geralmente os machos são mais afetados devido à disputa de território por brigas,  pode ocorrer transmissão do vírus durante  o ato sexual, pois o macho morde o pescoço da fêmea durante o coito.

Encontrei dados na literatura citando a transmissão através da gestação, porém são muito raras (ainda bem!). O contagio através de potes de água e comida também é raro, como também a transmissão pelo simples convívio.

Este vírus é espécie-específico, somente infecta os gatos não ocorrendo nenhum tipo de transmissão para o homem.

A doença é lenta e sem sintomas, o gato pode permanecer anos sem manifestar nenhuma alteração. A idade em que comumente é observado o aparecimento dos sintomas é aos cinco anos. A FIV é caracterizada por 3 fases.

Na primeira fase infelizmente ela aparece inespecífica, o gatinho perde peso, pode ter febre, diarreia, aumento dos linfonodos em 100% dos casos e  anemia. Essa fase aguda normalmente ocorre de 4 á 6 semanas após o contágio do vírus e pode durar por até 9 meses.

Normalmente os gatinhos melhoram e entram na segunda fase da doença em que ela torna-se silenciosa, geralmente sem sintomas. Essa fase pode durar anos e é perigosa para outros gatos, pois o gatinho doente através de mordidas transmite a doença para outros gatos.

Na terceira fase e mais agressiva a perda de peso é crônica, o gatinho torna-se muito magro, e ocorrem infecções recorrentes e sem melhora com o tratamento com antibióticos, a anemia e o número baixo de células de defesa (leucopenia) tornam-se persistentes. Sem tratamento de suporte ela pode ser fatal nesta fase.

Para saber se o gato tem FIV o médico veterinário terá que fazer um exame de sangue. Pode ser realizado um teste ELISA ou um PCR.

O tratamento contra o vírus ainda não esta bem estabelecido, alguns colegas utilizam  a medicação utilizada para tratamento da AIDS em humanos, o AZT, mas os resultados são controversos.

O ideal é prevenir, castrando o seu gato, e evitando que ele tenha contato com gatos desconhecidos que possam estar infectados.

Uma vez a doença instalada mantenha sempre contato com o veterinário do seu bichano, ele saberá como manter o seu amguinho.

Forneça sempre uma boa alimentação e um ambiente alegre e de carinho.

Escreva neste post as suas dúvidas. Aqui no Blog Sobre Cães e Gatos você sempre encontra muita informação.

09

11 2011